• Gilvania Barzotto

    Psicologia Clínica

Psicologia Clínica

Mais importante do que a ciência é o seu resultado, Uma resposta provoca uma centena de perguntas. Mais importante do que a poesia é o seu resultado, Um poema invoca uma centena de atos heróicos. Mais importante do que o reconhecimento é o seu resultado, O resultado é dor e culpa. Mais importante do que a procriação é a criança. Mais importante do que a evolução da criação é a evolução do criador. Em lugar de passos imperativos, o imperador. Em lugar de passos criativos, o criador. Um encontro de dois: olhos nos olhos, face a face. E quando estiveres perto, arrancar-te-ei os olhos e colocá-los-ei no lugar dos meus; E arrancarei meus olhos para colocá-los no lugar dos teus; Então ver-te-ei com os teus olhos E tu ver-me-às com os meus. Assim, até a coisa comum serve o silêncio E nosso encontro permanece a meta sem cadeias: O Iugar indeterminado, num tempo indeterminado, A palavra indeterminada para o Homem indeterminado. Traduzido por Moreno, Viena, 1914.

Publicações
A importância do perdão

A principal necessidade do ser humano é sentir-se amado; o amor é essencial à saúde emocional. Com o suprimento adequado de afeição uma criança torna-se um adulto responsável. Porém, a necessidade de … Continuar Lendo

POR QUÊ FAZER TERAPIA?

Estamos na era da informática, do computador, do celular e tantas outras facilidades que surgiram com a globalização e tem gente que ainda pensa que terapia… Continuar Lendo

O CONTRATO CONJUGAL

Quando há o encontro de um casal, logo de início, os dois trocam sinais sobre a definição que cada um tem do relacionamento… Continuar Lendo

BRIGAR É SAUDÁVEL?

Freqüentemente surgem divergências que levam à conflitos e discussões ocasionando certa desestabilidade no relacionamento. Dessas discussões, que muitas vezes acontecem apenas para reestabelecer um equilíbrio… Continuar Lendo …

Bipolaridade

A Depressão pode se manifestar como Depressão Unipolar, ou seja, pessoas que sofrem de humor depressivo; ou a do tipo Bipolar… Continuar Lendo.

Linhas de Terapia
PSICODRAMA

“…Um encontro de dois: olhos nos olhos, face a face.
E quando estiveres perto, arrancar-te-ei os olhos
e colocá-los-ei no lugar dos meus;
E arrancarei meus olhos
Para colocá-los no lugar dos teus;
Então ver-te-ei com os teus olhos
E tu ver-me-ás com os meus…”

O Psicodrama nasceu em Viena, em 1921, quando Jacob Lévy Moreno fundou o Teatro da Espontaneidade, que veio se tornar o Teatro Terapêutico. A partir daí, Moreno abriu caminho para o uso de Técnicas Lúdicas, Terapia de Representações Espontâneas, Psicoterapia de Grupo e a Aprendizagem de Papéis.
O Psicodrama trouxe o tratamento do indivíduo em grupo, através de métodos de ação. No contexto grupal, o processo Terapêutico se realiza no “aqui e agora” com a dramatização de vivências passadas analisadas no presente, reconstituindo a cena e interagindo com os personagens significativos da história do indivíduo. Esta representação se dá quantas vezes for necessária para esclarecimento e compreensão da situação dramática.
O Psicodrama não se limita à psicoterapia verbal, mas faz intervir o corpo em suas variadas expressões. O método Psicodramático usa, principalmente cinco instrumentos: o palco, o sujeito ou paciente, o diretor, os egos auxiliares e o público.

TERAPIA FAMILIAR SISTÊMICA

A Teoria Geral dos Sistemas criada por Ludwig von Bertalanffy em 1950, a Cibernética criada por Norbert Wiener em 1948 e a Teoria da Comunicação Humana elaborada por Gregory Bateson e seus colaboradores em 1956, foram dando corpo à compreensão da Família como um Sistema que, para ser compreendido, deve ser observado através de sua globalidade.
A Família, como um sistema vivo, está constantemente trocando informação e energia com o exterior. Se o sistema entra em desequilíbrio, pode ocorrer uma crise na família e assim a forçar a rever as regras de sua relação e retornar então à homeostase familiar. Um dos principais objetivos da Terapia de Família é conseguir realizar mudanças na organização familiar.
A prática clínica com Casais e Famílias tem como base uma terapia como construção de um contexto para recriar as histórias de vidas das gerações familiares e recuperar novas alternativas para problemas crônicos. Para o terapeuta de família, a pessoa que traz o sintoma é apenas o portador da doença; a causa do problema são as transações disfuncionais da família. O sintoma é a comunicação da família e a terapia propõe a busca de sua função, entender a que ele serve.
As famílias de Origem são sempre um recurso positivo e a ampliação de observação à família Trigeracional abre possibilidades para rever os valores e padrões de interação que definem a identidade da família. A Terapia Familiar Sistêmica inclui o atendimento de Casal, dos Filhos, dos Avós e outras pessoas que sejam de alguma maneira importantes dentro daquele contexto familiar.